Primeira página

Após anos de luta, Campinas tem Del. da Mulher 24 horas no Jd. Paulicéia

A Secretaria de Segurança do Estado inaugurou hoje , 28, o atendimento 24 horas da 2ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Campinas que fica na Rua Ferdinando Panatoni, 590, no Jardim Paulicéia/Jd.  Londres, que já existe desde novembro de 2016. Mas a partir desta data passa a ter o atendimento ininterrupto,  inclusive nos finais de semana, e que compreenderá também a área da 1ª DDM,  integrada à 1ª Delegacia Seccional, no Jardim Proença. Trata-se de uma reivindicação antiga dos movimentos feministas e mulheres da cidade e é a terceira DDM 24hs do Estado. Veja abaixo depoimento da vereadora  Mariana Conti, uma das que lutaram pela DDM24h

Como funcionará , segundo a Delegada

Para o atendimento 24 horas por dia, além do efetivo lotado na unidade, haverá o reforço de nove policiais que serão realocados de outras unidades policiais. “Com o atendimento ininterrupto esperamos incentivar o registro formal desse tipo de crime. Nossa porta nunca mais será fechada”, explicou a delegada titular Maria Helena Taranto Joia. Segundo ela, a 2a DDM beneficia os mais de 1,1 milhão de habitantes da cidade de Campinas. O prédio possui sala de espera e de atendimento, cartório central, cinco cartórios, três salas de delegados e uma para atendimento psicológico, uma brinquedoteca, uma cozinha, quatro banheiros e estacionamento.

Produtividade da unidade

Ao longo de 2018, a 2ª DDM de Campinas instaurou 1.566 inquéritos policiais, expediu 502 medidas protetivas e realizou 88 prisões. Apenas em janeiro deste ano, foram 125 inquéritos instaurados, 62 medidas protetivas e 16 prisões realizadas.

1ª DDM também terá 2h, diz secretário

Participaram da inauguração o  secretário executivo da Polícia Civil do Estado, Youssef Abou Chahin, o prefeito Jonas Donizete, várias autoridades da Secretaria de Segurança  Elza Fratinni  coordenadora do CEAMU (Centro de Referencia e Apoio da Mulher )  e a Delegada da 2ª DDM Maria Helena Taranto Joia. Também participaram do evento os secretários municipais Executivo, Cristiano Biggi, e de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública, Luiz Augusto Baggio, e o comandante da Guarda Municipal, Márcio Frizarin.

Segundo Youseef Chahin a 1ª DDM  também deve inaugurar o serviço de atendimento 24 horas até o final de março. “Campinas agora está com atendimento ininterrupto, para que essas mulheres possam fazer reclamações e possam se sentir protegidas”, disse o secretário executivo da Polícia Civil, representando o governador do Estado, Youssef Abou Chahin. Estamos preparados para acolher da forma mais cortes possível, com uma boa estrutura para amparar a mulher que precisa de acolhimento”, afirmou Chahin.

Já o prefeito Jonas Donizette ressaltou que Campinas está sendo umas das primeira cidades do Estado a receber a DDM  com atendimento 24 horas e da importancia da luta por condições de igualdade e proteção às mulheres. “Precisamos sempre lutar para prevenir e, se acontecer, que haja punição e justiça ante esses atos terríveis”, disse. O prefeito destacou o programa municipal Guarda Amigo da Mulher, criado pela Prefeitura de Campinas, em 8 de março de 2016. “O programa Guarda Amigo da Mulher tem mais de 80 mulheres cadastradas. Nossos guardas acompanham e visitam essas mulheres, vítimas de violência e que estão sob medidas protetivas.”  segundo ele desde 2016, passaram pelo programa 131 mulheres.

Segundo o diretor do Departamento de Polícia Judiciária São Paulo Interior 2 (Deinter), José Henrique Ventura, o sistema de serviço 24 horas é uma reivindicação antiga de Campinas. “A vítima chega desesperada, clamando por sua integridade. Agora, ela terá atendimento especializado 24 horas por dia”, disse o diretor do Deinter.

Segundo o Secretário da Policia Civil , São Paulo é pioneiro no aprimoramento de políticas de segurança no combate à violência sexual e de gênero e conta com 133 DDMs, sendo nove na Capital, 16 na Grande São Paulo e 108 no Interior. O Governo do Estado está ampliando o atendimento nas DDMs 24h. “A escolha das unidades é realizada de maneira técnica”, explicou Youssef.

Com a 2ª DDM de Campinas, o Estado passa a contar com três unidades funcionando 24 horas. A DDM de Sorocaba foi a partir de 30 de janeiro deste ano e a 1ª DDM da Capital desde 2016. “Temos projetos para que muito breve a 1ª DDM de Campinas também passe a funcionar 24 horas”, informou o secretário executivo da Polícia Civil.

Além disso, todas as delegacias do Estado seguem o Protocolo Único de Atendimento, que estabelece um padrão para melhor acolher casos de violência contra a mulher. Todos os policiais são capacitados – os cursos de formação contemplam disciplinas direcionadas ao tema.

00035510

foto Paula Vieira

Protesto  (da EPTV Campinas)

Um grupo de 20 mulheres se reuniu na frente da delegacia durante a inauguração para protestar contra os últimos casos de feminicídio na região e reivindicar o atendimento 24 horas em todas as DDMs do estado.

foto: Luciano Calafiori/G1

Elas levaram faixas e cartazes e relembraram o caso da comerciante  Nice que morreu durante a madrugada desta quinta depois que teve o corpo queimado pelo ex-marido uma semana antes.

“Ontem uma companheira teve o corpo todo queimado e morreu nessa noite, então também é pra denunciar essa questão da violência que só aumenta. Nós queremos fazer memória a essa companheira”, ressaltou Lourdes Simões, uma das organizadoras.

Vereadora diz que é luta “histórica” e pede eficiência

A vereadora Mariana Conti  – uma das que mais lutaram pela 2ª DDM 24 hs – parabeniza o estabelecimento da jornada de 24 horas, mas lamenta a demora de sua implementação pelo governo do Estado. “Acredito que essa seja uma grande conquista para as mulheres de Campinas. É uma luta histórica. Há muitos anos que lutamos por isso. É bom que tenho sido inaugurada, mas fico pensando que quantas mulheres poderiam ter sido salvas se não fosse essa demora.” 
“Também é preciso lembrar que no mesmo dia em que o atendimento 24hs da delegacia é inaugurada, uma mulher que teve seu corpo queimado pelo companheiro morreu. Nice Vieira era o nome dela. Espero que a delegacia ajude a salvar vidas de mulheres. Como Nice poderia ter sido salva.”
A vereadora espera que a delegacia funcione adequadamente, que tenha um quadro de funcionários que consiga atender a demanda da nossa cidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s