Primeira página

CAMPINAS VIVE EPIDEMIA DE DENGUE

A Prefeitura de Campinas  confirmou hoje, terça que há um surto do vírus tipo 2 da dengue. Foram registrados 556 casos confirmados na cidade são do tipo 2 da doença, vírus que não circulava no município desde 2011.

Ontem dia 25 a Secretaria de saúde admitiu para a TV Bandeirantes que já  havia uma epidemia de dengue assim como já é admitido um “estado crítico” em todo o Estado de São Paulo  (com 83.000 notificações e 31 mortes) e em várias partes do pais como informou  o Ministerio da Saude de que  os casos de dengue no pais cresceram 264% de dezembro a 16/3 em 2019.

A confirmação de epidemia se baseia em número de registros da Secretaria Municipal de Saúde: o  crescimento de 41% no numero de casos em relação ao mesmo período do ano passado. Até dia 16 foram registrados 425 casos de dengue em 2019  contra 301 casos nos 3 primeiros meses de 2018 em Campinas . Porém segundo a Secretaria , os casos de Zika e Chikungunya caíram e estão controlados (apenas 3 casos de Zika e 1 de chikungunya contra 17 e 21 casos , respectivamente em 2018) . No Brasil foram registrados 229.064 casos nas primeiras 11 semanas de 2019 (até 16 de março). No mesmo período de 2018 foram registrados 62,9 mil caso de dengue, segundo o Ministerio da Saude .

De acordo com o secretário de Saúde de Campinas, Carmino Antonio de Souza, a preocupação da Pasta é a suscetibilidade da população em relação ao tipo 2 do vírus. “As pessoas que tiveram o tipo 1 da doença, que predominou nos últimos anos, podem pegar o tipo 2 e adoecer com maior gravidade”, explicou a diretora do Devisa, Andrea von Zuben. Até o momento, não há registros de mortes e casos graves.

Hoje a Secretaria afirmou que a região mais afetada pela dengue é do Campo Grande, nos bairros de abrangência do Centro de Saúde Floresta. “Há muito material lixo nas ruas. A Prefeitura faz a limpeza e logo depois já tem gente jogando de novo”, comenta a diretora. “Temos um controle vetorial muito bom e estamos trabalhando de forma muito organizada nos bloqueios das áreas de transmissão, mas precisamos da ajuda da população no sentido de eliminar os criadouros”, acrescentou.

PORTA A PORTA E NEBULIZAÇÃO JA COMEÇARAM

Porisso  a Vigilância Epidemiológica disse que já começou a tradicional visita “porta a porta” para ver se descobre possiveis criadouros . O apoio da população é fundamental para evitar focos do mosquito transmissor da dengue, uma vez que cerca de 80% dos criadouros estão em residências.

No entanto já estamos no período de mosquitos adultos voando pela cidade  e portanto a necessidade também da Vigilância ja ter começado a etapa de nebulização para matar os mosquitos

 

PAULINIA TAMBÉM ESTÁ EM ALERTA

Campinas porém não é a unica  pois também foram registrados vários casos em cidades da região como Jundiaí , Piracicaba , Americana e outras.

Em Paulínia, até o dia 15 de março, dos 303 casos notificados, foram confirmados 34 casos, sendo 16 autóctones e 18 casos importados e nenhum óbito, informa o Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde Municipal.

Agentes da Secretaria Municipal de Saúde já estão realizando visitas domiciliares e explicadas sobre maneiras de combater criadouros do mosquito Aedes aegypti, o transmissor de doenças como a Dengue, Zica e Chikungunya. Panfletos informativos também estão sendo entregues à população. A prefeitura de Paulinia já realizou este ano dois mutirões em 2019: um no bairro São José, em fevereiro, e outro na região do Cooperlotes e Bom Retiro, em março

 

 

 

 

mosquito

larvas dengue

Categorias:Primeira página, Saude

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s