Bairros

Desunião e rixas impedem, novamente, Barão de ter um vereador

Mais uma vez Barão Geraldo fica sem um vereador comprometido com o distrito – independente da ideologia política – e que possa lutar pelas necessidades de nossos bairros de forma unificada. Os motivos disso são. claramente, a falta de um Conselho Distrital ou uma união de associações de moradores e também a desunião, constantes desconfianças, acusações e brigas injustas, forte individualismo e a gigantesca disparidade cultural entre os moradores. Desde os mais antigos e tradicionais familiares originais (a que se juntaram centenas de famílias de descendentes de imigrantes e migrantes que vieram a trabalho – até a enorme quantidade de moradores ligados à Unicamp ou à Paulínia (alunos e ex alunos, funcionários e professores).

Se é perceptível é muito forte (e o jornal de Barão reconhece isso) um desejo da maioria em renovar e mudar os “antigos” que já estão na Câmara – alguns já a diversas décadas e mandatos – porque a reeleição foi a escolhida pela grande maioria? Cerca de 80% dos atuais vereadores foram reeleitos e dois antigos (Paulo Buffalo e Carlinhos Camelô ) foram reconduzidos à Câmara. Se foram tão ruins assim porque foram reeleitos? É obvio que foram reeleitos porque não representavam Barão! Se foram ruins para nós , provavelmente tinham forte presença trabalho e apelo em outros bairros e regiões atendidas – como o Campo Grande e Ouro Verde e não em Barão .

Dos candidatos considerados mais comprometidos com Barão Geraldo apenas 3 tiveram votos possíveis para se elegerem mas não conseguiram. Marcela Moreira, nascida em Barão teve 2678 votos e ficou com a segunda suplência do PSOL do qual é a presidente (E já deve entrar em 2022 caso os dois vereadores eleitos pelo partido – Mariana Conti e Paulo Buffalo – peçam licença ).

Também Vagner da Praça do Côco do PV embora residente e empresário em Barão, teve 1654 votos e ficou como 2º suplente do PV. E mesmo que Rossini saia para se candidatar a deputado em 2022, ele ainda não conseguirá assumir .

O outro foi Valdir Terrazan , do PSDB, que teve 1049 votos porém foi um numero muito baixo para a eleição e o PSDB teve pouquíssimos votos e nem o atual presidente da Câmara , Marcos Bernardelli conseguiu se eleger.

Todos os outros novos candidatos de Barão tiveram pouquíssimos votos porém serviram e ajudaram muito de base aos candidatos majoritários à prefeitura. Entre os mais novos, os que tiveram mais votos foram Wagner Romão com 2347 votos (sendo 1º suplente do PT), Roberto Stevenson do PSOL com 1357 votos , ficou como 3º suplente do partido, Marcélio Leão do NOVO com 868 , Flávio Padovini, do PP, que teve 664 votos, Nádina Fernandes do Cidadania teve 500 votos, Juliano Davoli (PT) 497, Andrea Ferraz, do Patriota com 258, Guilherme Antoniolli (Cidadania) teve 238, Érika Almeida, PSL 197, Rober Blu, PROS , 192, Carlos Fanton , 170 e Daniel Bosso, 163.

Porém nem todos eles afirmaram publicamente compromissos com Barão. É possível dizer que cada um desses candidatos representem uma concepção e uma vontade diferente em Barão (ou não) . Mas como unir as necessidades e vontades da maioria?

Muitos novos candidatos são escolhidos apenas para serem uma referência de medida para calcular o minimo de votos necessários que cada candidato pode conseguir em sua região para eleger o candidato “majoritário” (do executivo). Por exemplo se cada um conseguir um minimo de 3 votos em cada bairro, o partido soma todos os candidatos e tem assim uma estimativa .

CAUSAS

A questão é que a quantidade de votantes em Barão (cerca de 50.000) é totalmente possível de eleger um candidato que seja comprometido (ou não) com o distrito. Isto é , que pelo menos leve aos poderes os principais problemas e necessidades dos bairros e saiba quem procurar, demonstrar e convencer quem toma decisões.

Pois , como todos sabem, os vereadores fazem um planejamento de prioridades para atender as regiões com maior numero de pessoas e onde ele teve e precisa ter votos. E quando chega uma solicitação de uma pessoa individual, que não tem relação com outros moradores, não é eleita num bairro, etc onde seu pedido entra nas prioridades? (E isso ainda se for possível factível jurídica e economicamente.)

Assim, a falta de identidade, conhecimento e convivência entre a grande maioria dos moradores e a excessiva disparidade cultural e diferenciação de valores, necessidades, desejos propostas e interesses entre eles dentro mesmo de cada bairro ou condomínio ( bem claro em todas as metrópoles, alias) faz com que haja enorme diferenciação de conhecimentos, candidatos e concepções sobre a politica. E como os vizinhos dos mesmos bairros e condomínios não mais conversam entre si, os únicos meios de comunicação entre candidatos e moradores são a TV, as redes sociais, e os métodos tradicionais. É por isso, aliás , que a politica vem se reduzindo apenas para problemas coletivos – como transito, qualidade do ar, tarifas, segurança

Assim é justamente essa falta de identidade local e conhecimento entre os moradores ( que poderia ser sanado com a retomada das Associações de bairros – a partir mesmo das Vizinhanças Solidárias por exemplo – e reuniões entre associações) que impede o fortalecimento de pessoas que possam levar à politica a necessidade das Associações e com o apoio delas chegue seus nomes – de representantes locais ! a maioria dos moradores.

É essa necessidade que precisamos mudar Não para as proximas eleições mas PARA JA! Todos esses candidatos deveriam aproveitar agora , arregaçar as manhas e começar a fortalecer as associação de moradores dos proprios bairro deles. E estar presentes SEMPRE nessas comunidades defendendo publicamente, lutando junto por essas metas e levando às autoridades fazendo videos cobrando etc . Sempre presentes e mostrando os resultados, o que esta sendo feito, e o que foi feito . E não só daqui ha 4 anos.

Enfim ta na hora de se unir e fortalecer poucas candidaturas comprometidas e que tenham a confiança das associações e moradores

Vamos pensar nisso?

VEJA QUEM SÃO OS NOVOS VEREADORES

Mariana Conti – PSOL – 10.886 1

Higor do Campo Grande – Republicanos = 7670 1

Marcelo Silva – PSD 6858 1

Fernando Mendes – Republicanos 6539 2

Rodrigo da Farmadic – DEM 6493 1

Filipe Marchesi – PSB 5605 1

Rubens Gás DEM 4971 2

Nelson Hossri PSD 4715 2

Ze Carlos PSB 4674 2

Edison Ribeiro PSL 4355

Perminio Monteiro PSB 4127 3

Carlinhos Camelo PSB 4125 4

Prof Alberto PL 3990 1

Du Tapeceiro Podemos 3846 1

Guida Calixto PT 3645 1

Luiz Cirillo PSDB 3593

Arnaldo Salvetti MDB 3570

Jair da Farmácia Solidariedade 3560 1

Paulo Buffalo PSOL 3374 2

Jorge Schneider PL 3153 2

Juscelino da Barbarense PL 3083 3

Gustavo Petta PCdoB 3059

Marcelo da Farmácia AVANTE 3020

Paulo Gaspar NOVO 3014

Paola Miguel PT 2728 2

Major Jaime PP 2614

Cecilio PT 2592 3

Rossini PV 2570

Otto Alejandro PL 2470 4

Marron Cunha Solidariedade 2018 votos 2

Débora Palermo PSC 1937 1

Carmo Luis PSC 1977 2

Paulo Haddad CIDADANIA 1831 votos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s