Bairros

Estudantes da Moradia passam quase duas semanas sem luz

Alguns moradores estudantes da Moradia Estudantil da Unicamp ficaram quase 2 semanas sem luz desde 15/1. Houve um problema na fiação antiga que afetou 11 casas de 3 blocos, sendo 6 casas de famílias com crianças pequenas, num total de 30 moradores estudantes. Porém somente esta semana a Unicamp finalmente conseguiu uma empresa para apurar o problema da fiação e, junto à CPFL, deve religar a luz hoje.

Segundo um grupo de moradores chamado “Mobiliza Moradia” (eles não querem citar seus nomes com medo de represálias) , o defeito começou na madrugada do dia 15 quando eles chamaram a CPFL para resolver o problema. E os técnicos da CPFL perceberam que a fiação interna estava em curto e que – com as chuvas – havia o risco de atingir as tampas metálicas e assim ferir quem pisasse nelas. Como nessas casas há várias crianças que brincam no local, os técnicos da CPFL desligaram a força ate que fosse resolvido o problema. Assim ficaram sem luz até a segunda, dia 18/01 quando engenheiros enviados pela Unicamp foram examinar e descobriram que um cabo que vinha do poste estava em curto e precisava ser trocado. Mas para isso o prazo era de 90 dias (para licitação e compra dos cabos)

Por isso procuraram a CPFL que voltou ao local na quinta passada 21 e fizeram uma “gambiarra” para restabelecer a luz temporariamente (ainda com risco de choque nas caixas , se chovesse). Porém a luz caiu na segunda, dia 25 e os técnicos da Unicamp não sabiam como resolver o problema.

Foi aí que os moradores resolveram se mobilizar , procuraram o SAE (Serviço de Apoio ao Estudante), representantes dos alunos, colocaram faixas e procuraram a grande mídia para reclamar a situação absurda: sem geladeiras, sem chuveiro para tomar banho, sem computadores e internet para cumprir as obrigações… ” a falta de energia causou muito transtorno pra gente. A gente perdeu alimento, não consegue tomar banho, tem que dar banho gelado nas crianças, sequer consegue dormir direito devido a muito pernilongo, muito calor e sem poder tomar uma água gelada e são várias crianças. E nem mesmo dar conta de nossas atividades obrigatórias dos cursos e das pesquisas.” – diz a “Mobiliza Moras”.

Então é muito transtorno pra ter que ir em outras casas da Moradia para tomar banho, guardar alimentos nas geladeiras dos outros” No dia 27 os técnicos da Unicamp´puxaram vários “gatos” ( fios) temporários de outros blocos e casas para amenizar a necessidade até conseguirem resolver.

Nesse dia os estudantes tiveram uma reunião com a Coordenadora da Moradia , que segundo elas a professora reconheceu não haver solução imediata para o caso e “se solidarizou” com as famílias. o SAE conseguiu uma bolsa emergencial para as famílias poderem comprar alimentos durante esses dias.

Porém hoje, dia 28, a empresa contratada ONNET esteve trabalhando no local e , conforme informou o técnico de Administração da Moradia, Felipe Leite a empresa terminou a fiação dia 28 e a CPFL irá religar a energia hoje , dia 29. A Assessoria de Imprensa da Unicamp publicou uma nota da Coordenação da Moradia, professora Eliete Silva, reconhecendo que houve o problema que está sendo cuidado pela Diretoria de Manutenção da Prefeitura do Campus em conjunto com a CPFL E reconhecendo a necessidade de substituição do cabeamento de alta tensão que alimenta o Quadro de Energia que abastece as 11 residências.

“Como providência imediata foi desligado esse setor de habitações e os trabalhos de restauração da energia se iniciaram na terça-feira. Assim que diagnosticados os problemas foram adquiridos os materiais necessários para a sua resolução. Existe previsão de normalização da situação de falta de energia entre quinta e sexta-feira, com a instalação de novo cabeamento de alta tensão e religamento da energia pela concessionária – CPFL”. diz a nota da professora Eliete Silva.

A Coordenadora disse também que ao mesmo tempo, devido à situação emergencial, foi solicitada que a Pró Reitoria de Graduação e o Serviço de Apoio ao Estudante para “dar os apoios institucionais possíveis para amenizar as dificuldades e prejuízos decorrentes dessa situação.”

PROBLEMAS ESTRUTURAIS VEM SE ACUMULANDO

Movimenta Moradia lembrou também que os problemas estruturais vem se acumulando na Moradia há vários anos: Já são 8 CASAS interditadas com risco de queda (o que significa menos 32 vagas para estudantes), muita infiltração e alagamento em várias casas após as chuvas de dezembro e janeiro, goteiras e infiltração na maioria das casas .

E esse problema que ocorreu nessas casas atingiu toda a moradia pois desligou grande parte do sistema de internet da própria Moradia. ”

Além de que os técnicos nos avisaram que esse problema desses blocos irá se estender por toda a Moradia futuramente, porque a fiação tem mais de 30 anos e não foi trocada desde que foi construída (1988-89). ” – disse a estudante do Movimenta Moradia

(Arney Barcelos)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s