Ambientalismo

Mata Santa Genebra implanta meliponários de abelhas sem ferrão

A FJPO (Fundação José Pedro de Oliveira, que administra a Mata de S. Genebra) iniciou a estruturação de criadouros de abelhas nativas sem ferrão, chamados de “meliponários”.

Os objetivos principais do projeto são relativos à conservação das espécies de abelhas e de polinizadores de maneira geral, assim como de realizar o levantamento e conhecimento das espécies de abelhas nativas da ARIE Mata de Santa Genebra.

Segundo o biólogo Algusto Ventura a Mata está iniciando com quatro abrigos que comportarão duas caixas-colônia cada, ou seja, iniciaremos com oito colônias de abelhas nativas sem ferrão. As primeiras colônias são das espécies jatai, tubuna e mirim droryana

Por enquanto vamos manejar apenas estas três espécies…Até aprendermos a cuidar. Depois a idéia é também reproduzirmos outras espécies que ocorrem na Mata” Segundo Ventura existem 1600 espécies diferentes de abelhas só no Brasil

Mas a ideia é de irem aumentando o número de abrigos conforme vão conseguido fazer a manutenção destas primeiras.

Outro objetivo é a construção de uma “casa-meliponário”, que como disse Ventura é uma estrutura maior que comportaria várias prateleiras e várias caixa-colônias.

Diferenças com os Apiários

Muita gente acredita que uma colonia de abelha chama-se “apiário” Mas Augusto Ventura explica a diferença:

Apiários são os criadouros que possuem exclusivamente a espécie de abelha exótica Apis mellifera. Esta é a espécie que foi trazida da Europa para as Américas durante o período colonial, e estamos mais acostumados a ver na televisão e consumir o mel. A Apis SP é da mesma família de várias espécies nativas sem ferrão, a Família Apidae, e também da tribo Meliponini. A diferença entre um apiário e um meliponário é, basicamente, que apiários criam exclusivamente a Apis sp e os meliponários criam as outras espécies sociais e melíferas da tribo Meliponini, notadamente, no Brasil, as espécies nativas sem ferrão“.

Replicar para conhecer as outras espécies

A Fundação vai também replicar as colônias da abelhas nativas sem ferrão existentes na Mata de Santa Genebra através da instalação de ninhos-isca, que é uma uma estrutura provisória que simula uma matéria oca e que, devido à uma mistura atrativa para as abelhas, estimula a entrada de enxames com novas abelhas-rainha. Este enxames novos são posteriormente retirados do ninho-isca e realocados em uma caixa chamada de “racional” e levados para as áreas de meliponário.

Outro objetivo é conhecer e identificar outras espécies melíferas sociais ja existentes na Mata e segundo Ventura esse processo de replicação vai ajudar bastante nesse sentido. Para esse serviço Augusto disse que terá a ajuda de um voluntário que também fará pesquisa de levantamentos de outras grupos de abelhas. por exemplo das espécies solitárias e espécies gregárias, como as “mamangavas“. “Estes grupos de abelhas não entram em ninho-isca, portanto as técnicas para identificar estas espécies são a busca ativa de ninhos e a observação de campo.” – declarou o biólogo.

COLÔNIA NA PREFEITURA É A PRIMEIRA DE MUITAS

Nesta quinta, 11/11/ a FJPO instala uma colmeia racional, (isto é, feita pelo homem), contendo uma colônia de abelhas nativas sem ferrão, em frente ao Paço Municipal mas o objetivo é levar para vários outros lugares dando início ao projeto “Campinas, cidade amiga das abelhas nativas” segundo o presidente Cidão Santos. O projeto foi idealizado para despertar a conscientização ecossistêmica e destacar a importância da conservação dos polinizadores de maneira geral, começando com as abelhas nativas sem ferrão.

A colmeia racional instalada na frente da Prefeitura é parte do projeto que inclui também o Meliponário (local de criação de abelhas onde são instaladas diversas colônias), inaugurado na Mata de Santa Genebra, em Barão Geraldo. O Meliponário poderá ser apreciado pela população e por estudantes de Campinas e região nas visitas guiadas que ocorrem semanalmente na Mata de Santa Genebra. A inscrição é recebida no endereço  https://www.fjposantagenebra.sp.gov.br/.

O projeto “Campinas, cidade amiga das abelhas nativas” é uma realização da Prefeitura Municipal de Campinas por meio da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; Fundação José Pedro de Oliveira – Mata de Santa Genebra, com apoio da Associação de Meliponicultores do Estado de São Paulo (AmeSampa).

AB

1 resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s