Primeira página

Novo hospital de Otorrino e Cabeça (IOU) da Unicamp recebe usina solar da CPFL

 Está quase pronto o novo Hospital da Unicamp. Em cerimônia realizada na quarta, dia 1º, no Instituto de Otorrinolaringologia & Cirurgia de Cabeça e Pescoço (IOU) da Unicamp, que contou com a presença de representantes do Instituto, CPFL Energia, Aneel e autoridades de Campinas, foi inaugurado o projeto de eficiência energética no hospital. A iniciativa, desenvolvida pela CPFL Paulista, faz parte do programa CPFL nos Hospitais — criado em 2019 com o objetivo de utilizar energia de forma inteligente, levar economia na conta de luz para instituições públicas e filantrópicas e reduzir impacto no meio ambiente — e teve investimento de R$ 290 mil, totalmente custeada pela distribuidora no âmbito do Programa de Eficiência Energética ANEEL. 

Foram instaladas 162 placas fotovoltaicas na cobertura do prédio, que já possui arquitetura e construção focadas em sustentabilidade. A usina tem potência de 65,6 kWp, o que equivale à energia consumida por 40 residências durante um mês, além de capacidade de geração anual de 96 MWh. O sistema evita a emissão de 10,2 toneladas de CO2 na atmosfera – o mesmo que o plantio de 61 novas árvores.

“O Programa CPFL nos Hospitais tem tido um papel muito importante no apoio às instituições públicas e filantrópicas, por meio do uso eficiente e sustentável da energia. Esta entrega, assim como as demais 182 já concluídas, são motivo de orgulho para a companhia e está alinhado com nosso plano de sustentabilidade. Temos a certeza de que essas iniciativas contribuirão positivamente para o bom atendimento da população das áreas beneficiadas”, destaca Luis Henrique Ferreira Pinto, vice-presidente de operações reguladas da CPFL Energia.

“Até o momento, a CPFL investiu na construção da planta fotovoltaica de 65,61 kWpico no IOU, estimada em 300 mil reais. O início da operação do IOU nos permitirá implementar ações que utilizem o hospital como espaço de experimentação para novos desenvolvimentos”, afirma o diretor do IOU, Prof. Dr. Agrício Nubiato Crespo.

Além da unidade do IOU, o Programa CPFL nos Hospitais também contempla outras unidades da Unicamp: Hospital de Clínicas, Gastrocentro, CECOM, CAISM e Hemocentro, as duas últimas também já concluídas. No total, a CPFL investirá R$ 4,5 milhões na área da saúde da UNICAMP, contemplando a instalação de 1.095 kWp de geração solar e de 15.983 lâmpadas. 

O programa conta com três frentes de trabalho: ações de eficiência energética, investimento em humanização hospitalar e melhorias, além de um programa de doação em conta de energia para hospitais.

Primeiro pilar – conta com investimento de até R$ 150 milhões nas quatro distribuidoras do Grupo (CPFL Paulista, CPFL Piratininga, CPFL Santa Cruz e RGE) para atender cerca de 300 instituições de saúde até o final do projeto.

Mais de 182 hospitais públicos e filantrópicos dos Estados de São Paulo e Rio Grande do Sul já contam com ações de eficiência energética promovidas pelo programa CPFL e RGE nos Hospitais. As obras concluídas até outubro de 2021 representarão uma economia de cerca de R$ 11,2 milhões anuais nas contas de luz das instituições, que poderão implementar esse valor em melhorias no atendimento à população.


Do total previsto, a CPFL Energia já investiu R$ 128 milhões nessas obras, que englobam a substituição de mais de 102 mil lâmpadas comuns por modelos de tecnologia LED, além da implementação de usinas fotovoltaicas com potência total instalada de 14,46 MWpOs sistemas vão proporcionar uma economia de energia elétrica estimada de 26,4 GWh ao ano, o que equivale ao consumo de 8.238 residências de médio porte anualmente, e ainda evitará a emissão de 1.997 toneladas de CO2 na atmosfera – o mesmo que o plantio de 11.984 novas árvores. 

Entre as instituições beneficiadas em São Paulo estão: Hospital de Amor, em Barretos; Hospital de Base de São José do Rio Preto (FUNFARME); Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Vinhedo; Santa Casa de Araraquara; Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto; Santa Casa de Ibitinga; Hospital Nestor Goulart Reis, de Américo Braziliense, Hospital de Clínicas da UNICAMP, em Campinas. Já no Rio Grande do Sul, receberam o projeto o Hospital de Caridade de Santo Cristo, em Santo Cristo; a Santa Casa de Caridade de Uruguaiana; Hospital Centenário de São Leopoldo, a Santa Casa de Misericórdia de Santana do Livramento; a Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo; a Associação Franciscana de Assistência, de Gramado; e o Hospital de Caridade de Erechim.

Segundo pilar – compreende projetos endossados pelo Instituto CPFL divididos em dois eixos: humanização e melhorias. Em humanização, os investimentos objetivam tornar o ambiente hospitalar mais leve e descontraído para pacientes, familiares e profissionais de saúde, agregando brincadeiras, humor e contação de histórias. O eixo de investimentos em melhorias atua na infraestrutura e na aquisição de equipamentos com foco no atendimento oferecido por hospitais públicos. Este eixo também apoia a formação, o treinamento e o aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis, além da realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas, experimentais e socioantropológicas. 

Em 2020, em uma ação especial de combate à COVID-19, o Instituto CPFL coordenou a destinação de R$ 5 milhões de reais em insumos médicos, beneficiando 20 hospitais, além de doar mais R$ 1 milhão ao programa “Salvando Vidas”, do BNDES. 

Na temporada 2021 do Instituto CPFL, a frente CPFL e RGE nos Hospitais está presente em 28 instituições de 18 diferentes cidades

Terceiro pilar – permite aos clientes realizar doações para as instituições de saúde por meio da conta de energia. Isso aumenta a arrecadação dos hospitais, permitindo investimentos na melhoria das condições de atendimento. Por meio da CPFL Total, empresa que faz a gestão de doações via conta de energia, R$ 4,2 milhões foram doados por clientes das distribuidoras do grupo a 105 hospitais.

Reconhecimento. Em 2021, o programa CPFL e RGE nos Hospitais foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um exemplo de boa prática ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O reconhecimento se deve à integração dos indicadores ambientais, sociais e econômicos gerados pelo CPFL e RGE nos Hospitais, que contribuem diretamente para os ODS, como garantir a distribuição de energia acessível, sustentável e moderna e promover o bem-estar e vida saudável à todos. O presidente da CPFL Energia, Gustavo Estrella, é embaixador pelo programa Liderança com Impacto da ONU.

O programa CPFL e RGE nos Hospitais faz parte do pilar Valor Compartilhado do plano de sustentabilidade da empresa, que prevê aplicar até 2024 mais de R$ 1,8 bilhão para impulsionar a transição para uma forma mais sustentável e inteligente de produzir e consumir energia, maximizando impactos positivos na comunidade e na cadeia de valor, além de reduzir os impactos gerados pela natureza do seu negócio.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s