Bairros

Village se reorganiza para buscar garantir promessas não cumpridas

Os moradores do bairro Village Campinas se reuniram no dia 19/2 para retomarem a organização para lutarem por melhorias prometidas há décadas pela Prefeitura de Campinas. Além da instalação do esgoto ainda em fase de estudos parados desde 2021, os moradores querem saber como anda o processo aberto junto ao Ministério Público contra a prefeitura, também querem saber da construção do Posto de Saúde definitivo, porque foi liberado o comércio no bairro pelo novo Plano Diretor e outras questões.

Embora convocada por moradores que não fazem parte da Associação de Moradores e Proprietários do Village (AMPROVIC) a reunião foi feita na sede e em conjunto com vários membros da associação .

A reunião

Inicialmente o morador Danilo Evangelista falou que o que o motivou a convocar a reunião foi o sucesso que vem conseguindo com seu projeto esportivo para crianças e adolescentes como uma forma de educação e através dele vem conseguindo melhorias na praça de esportes do bairro, com novo campinho e quadra de volei, além de outros que ainda serão implantados

Após apresentação de todos, alguns com mais de 30 anos de Village, os moradores Matheus e Carol, diretores da Amprovic, relataram um resumo das diversas reivindicações antigas de pavimentação e infraestrutura e do andamento delas.

Sobre o pedido de drenagem e pavimentação das ruas, Matheus informou que em 2005 foi aberto o primeiro protocolo solicitando a pavimentação nas linhas de ônibus, e que mais dois protocolos com abaixo assinados foram abertos desde então. Mas como ele disse, o processo da pavimentação parou após ser feito um estudo de macrodrenagem no bairro, no qual alegarem não haver viabilidade técnica para fazer o projeto.

E em 2017 a Amprovic abriu uma reclamação junto ao Ministério Público em que foram elencados vários
problemas do bairro, incluindo um projeto de pavimentação, devidamente planejado.

No ano seguinte, (julho de 2018) foi aberto um novo protocolo com uma alternativa para o projeto de
microdrenagem, foi então instaurado um inquérito civil. Mas só em novembro de 2019 foi feita uma reunião junto com um promotor de justiça em que foi
levantado os dados da empresa que loteou o Village. E a situação continua a mesma até hoje.

A lentidão da rede de esgoto:

Outra questão debatida na assembleia foi a questão do esgoto em que todos os moradores /proprietários estão automaticamente incluídos no projeto e que custará aproximadamente 3 mil reais, podendo ser pago a prazo. Matheus lembrou que a prefeitura informou que os moradores que não puderem pagar poderão ter algum auxílio da assistência social, embora não saibam valor ou condições.

Entretanto a construção do esgoto e em projeto de ser construída se arrasta há mais de 5 anos. Em 2020 o projeto estava parado e – a pedido e por intermediação do subprefeito Kaize, via vereador Rossini – a SANASA reabriu o processo e mandou para a execução. Inicialmente os técnicos iriam mapear tudo ainda naquele ano e começar a construir. Mas nada foi feito. Em 2021 finalmente os engenheiros e técnicos da Sanasa fizeram a maior parte para o projeto com muitas fotos e medições, para, posteriormente, virem a empresa contratada para a instalação. E em 2022, até o momento nada e o prefeito decretou redução de custos (que não atinge essa obra segundo a assessora Erika, da Prefeitura). Posteriormente alguns moradores levantaram a questão de que a prefeitura estava


Posto de saúde:

Sobre o Posto de Saúde foi informado que o prédio é alugado e que existe um terreno próprio onde o posto definitivo seria construído .

Segundo foi debatido na Assembleia, a Prefeitura espera um empréstimo que poderá ser destinado à construção do Posto de Saúde (informação precisa a ser confirmada)

E os moradores deverão fazer um abaixo assinado para pressionar a Prefeitura sobre a necessidade
da construção do posto ou pelo menos sua reforma.


Mudanças no Plano Diretor agora permite comércio

Outra questão levantada na assembleia foi a questão da discussão do Plano Diretor que passou a permitir comércios no Village. Os moradores querem saber por que se deu essa mudança e o que implica nela?

Encaminhamentos:
Por fim os 14 moradores presentes discutiram necessidades da própria organização: necessidade de mais gente para fortalecer a conquistar tais melhorias, fazer um calendário anual proposta de fazer “informativos” ou jornaizinhos sobre coleta de lixo, limpa fossa gratuito etc , fazer um CNPJ (cadastro nacional de pessoa juridica) para a Amprovic e outras decisões.


Um morador propôs ser feito um levantamento, de quanto o Village contribui para IPTU mensamente, e desde quando essa cobrança é feita no Village para que essa informação fosse usada para que reivindicassem melhorias na infraestrutura do bairro
A proposta é fazer essa investigação para levantar o custo de se fazer a manutenção das ruas do Village e questionar se esse investimento não poderia ser melhor aproveitado. Além disso levantar informações sobre o plano diretor, o que mudou e que isso implica para os comerciantes

AB

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s