Politica

EDITORIAL: Adeus Arthur do Val

Menos de 1 semana antes do Dia Internacional da Mulher o site jornalístico UOL divulga um áudio do deputado estadual Arthur do Val em que ele faz diversas declarações machistas e algumas nojentas não apenas sobre mulheres da região da Ucrânia mas até por mulheres de uma forma geral. Nesse áudio enviado para um “grupo de amigos”, Do Val comparou mulheres policiais da Eslováquia – e outras refugiadas da Ucrânia – com as mulheres das “baladas” paulistas dizendo que eram “deusas” (relativo à beleza delas – em relação às brasileiras e que essas eram muito mais acessíveis, e se mostravam mais recíprocas, simpáticas ou disponíveis a um primeiro contato/diálogo que as mulheres de São Paulo que ele conhecia.

Nesse contexto o deputado Do Val – sempre dizendo que estava “mal” (não se sabe o que se referia com isso) disse que até “limparia com a língua o cocô” dessas “deusas” como disse que, após o final da guerra retornaria à Eslováquia para conhecê-las. Du Val ja havia dito que uma atendente do Hotel em que ficou na Ucrânia se mostrou disponível ou interessada nele e finalmente que essas mulheres (posteriormente disse que eram da Eslováquia, pois ja tinha saído da Ucrânia) eram “fáceis porque eram pobres”.

A declaração caiu como uma bomba não russa , mas de um brasileiro, na sociedade e na política brasileira. Só com isso ficamos sabendo que Do Val – também conhecido como “Mamãe Falei” – foi lançado como candidato a governador pelo partido Podemos e que também tinha uma noiva que ela mesma já declarou publicamente que não está mais com ele.

A impressão clara é que o deputado enterrou sua carreira política. Lideranças de todos os partidos – inclusive de seu próprio – colegas deputadas e até a ministra Damares já pediram a cassação de seu mandato parlamentar. Sem falar nas lideranças de oposição à Do Val – a nossa “esquerda” – que estão usando em excesso e tripudiando esse “erro politico” dele.

De um deputado bem votado com 478 mil votos e com uma atuação bastante elogiada por algumas lideranças políticas liberais ou à direita , e dentro da parcela que apoiou e depois rompeu com o presidente Bolsonaro , agora Artur (antes conhecido como “Mamãe Falei”) parece que se tornou em poucos dias um exemplo de como a politica brasileira não suporta mais. “Mamãe falei e foi Du Mal” Além de demonstrar um exemplo de como um político – e como um homem – NÃO deva mais pensar – por ser uma forma intolerável ao avanço das mulheres brasileiras (mesmo as que são conservadoras) por demonstrar um desprezo absurdo e total desprezo para com seus sentimentos.

Muito pior do que isso, Arthur Do Val levantou a possibilidade de existência de um “turismo sexual” na Eslováquia por parte de brasileiros , o que levou a ministra Damaris a abrir investigações nesse sentido. Para um país como o Brasil que AINDA é visto como destino de “turistas sexuais” estrangeiros com o já conhecido comentário sobre as mulheres brasileiras e que até ja mereceu campanhas oficiais do pais contra isso, a fala do deputado não foi vista apenas como uma imprudência ou “erro” (como ele mesmo reconheceu dizendo que foi “machista” ao retornar ao Brasil) , mas está sendo vista como criminosa num momento em que as mulheres – não apenas brasileiras – veem crescer ainda mais os índices de violência masculina aos mais altos níveis por causa da pandemia.

Por fim importante ressaltar o que todo mundo já sabe, menos a maioria dos políticos: É que para a maioria das pessoas a fala de um político É UMA AÇÃO. É da fala que um político vive e usa para MELHORAR as condições de vida da população que o elegeu – e da que não o elegeu. Com certeza, uma grande parcela dos que votaram nele eram mulheres. Foram votos “fáceis” então?

Num contexto em que vivemos, de repulsa pública à política e aos políticos e de crescente androfobia (isto é, de repulsa aos homens como se todos ainda pensassem e agissem como antigamente) a fala de Arthur demonstra desprezo a si próprio, ao capital político que ele construiu para conquistar tantos votos femininos e se eleger. Foram fáceis? A nosso ver, além de dever perder seu mandato e seu possível casamento , Arthur Do Val deveria ser condenado a ensinar DIARIAMENTE às mulheres mais pobres do Estado, o quanto a necessidade e a importância de elas NÃO SEREM FÀCEIS! Seja para homens de pensamentos sujos como ele , seja para uma sociedade que não respeita a luta da maioria das mulheres – principalmente das mais pobres – por igualdade , equidade, justiça e de uma qualidade de vida que atualmente nenhum político que representa o povo, nem nenhum homem está sendo capaz de lhes proporcionar.

Adeus Arthur do Val. Foi apenas mais um que será esquecido.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s