Bairros

Grupo agride, ameaça e fere pessoas em Barão e Paulínia Dois foram presos

Na madrugada de quinta para sexta feira passada 6/7 um grupo de homens que chegaram ao Bar do Ademir em frente à Moradia Estudantil passaram a agredir garçon, proprietários e quem tentasse interferir , chegando a ameaçar com tiros para o alto e ameaças. Posteriormente o grupo foi à Adega Calegaris em Paulínia onde atiraram em 2 pessoas. As vítimas foram socorridas e uma delas encontra-se em observação no Hospital Municipal de Paulínia (HMP). Outras duas pessoas que estavam com eles foram agredidos pelos frequentadores do espaço e foram “contidas”, sendo também encaminhadas para o HMP com diversos hematomas porém foram medicadas e foram liberados e encaminhados a delegacia.

PRIMEIRO NO BAR DO ADEMIR

Segundo o proprietário do Bar do Ademir, Marcos, um dos garçons, que é africano, estava juntando garrafas vazias do bar quando um grupo de 4 homens com coletes e roupas pretas começaram a mexer com ele, imitar macaco, e mandaram ele entrar no carro deles (um Audi SUV preto placa CGC- 2626) para “dar uma volta” chegando a agarrar ele. Marcos disse que nesse momento foi avisado e quando la chegou para defender o garçon, um dos homens que era careca e de barba sacou uma arma e apontou para ele e o agrediu com um soco na cara. Depois começou a persegui-lo dentro do bar também. Além disso o homem deu um soco numa menina que tentou para-lo e ameaçou também o Dj´ Eugênio que colocava som. Depois disso um dos 3 puxou os outros dois para fora do bar chamando eles para irem embora. E ao saírem um deles deu 3 tiros pro alto e gritaram algo como “essa é pra vocês saberem quem manda aqui”. E daí foram embora num Audi SUV. Alguns frequentadores disseram que eles usavam camisas com símbolos nazistas.

Acionada a Polícia Militar foi em busca do grupo e encontrou um deles com o carro em Paulínia e foi levado para a delegacia de Paulínia onde respondeu a inquérito e responderá em liberdade. Quem encontrou o cercou o grupo foi a Guarda Municipal de Paulinia. Ainda não sabemos o nome dele. Na delegacia ele disse que o garçom tirou a cerveja dele e não respondeu quando ele falava, e que ao tomar satisfações disse que foi agredido pelo dono do bar e outras pessoas e resolveu se defender.

Segundo a GM de Paulínia trata-se de um grupo ligado aos motoqueiros “Abutres” da cidade que encontraram um grupo de motoqueiros rivais na Adega Calegaris. Porém eles são independentes e não seguem orientação do grupo. Aguardamos resposta oficial do grupo.

O delegado da 7ª DP Maurício Lucenti disse que a Dept de Investigações Polícia Civil Regional de Campinas está apurando o caso ja que aconteceu em duas cidades.

No sábado o Bar do Ademir divulgou uma nota no Facebook repudiando a violência e informado que iria abrir normalmente:. “Pelos relatos dos envolvidos e testemunhas, trata-se de um ato racista e covarde por parte dos agressores. Repudiamos qualquer tipo de racismo e preconceito e estamos tomando as devidas providências”, diz o texto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s