Falecimentos

falecimento: Jaco Bittar ex prefeito 81 anos

Nesta sexta 26/5, faleceu o ex prefeito Jaco Bittar, aos 81 anos, de mal de Parkinson que ele já sofria ha alguns anos. ele morava sozinho em Campinas mas era assistido por vários profissionais que cuidavam dele e eram administrados por seus filhos Fernando, Khalil e Priscila. Jacó trabalhou na REPLAN e foi o primeiro presidente do Sindicato dos Petroleiros de Campinas e Paulínia. e também fundou o PT em 1978 (juntamente com Lula e o gaucho Olivio Dutra e vários outros ) e a CUT em 1983. Foi também candidato ao Senado em 1982 e o primeiro presidente do PT. Em maio passado ele recebeu a visita de seu amigo Lula que veio receber um documento do reitor e fazer comício na Unicamp. E Lula voltou ontem para velar o amigo.

Filho do sírio Athanásio Bittar e da brasileira Jacy Rodrigues Bittar, Jacó Bittar nasceu na cidade de Manduri, em 12 de outubro de 1940. Depois da morte do pai, a família se mudou para Santos em busca de emprego. Em Santos Jacó cursou o primário e, posteriormente, o curso industrial básico, formando em Operador de Máquinas Operatrizes no SENAI. Aos 17 anos Jacó começou a trabalhar nas docas e 5 anos depois em 1962, passou no concurso da Petrobras. Foi operador na fábrica de fertilizantes da empresa que funcionava em Cubatão produzindo ácido nítrico. Em 1971, com a privatização da unidade, Jacó tinha a opção de se transferir para a Refinaria Presidente Bernardes (RPBC), que ficava ao lado da fábrica na qual trabalhava, ou para a Refinaria de Paulínia (Replan), que seria inaugurada. E então decidiu vir trabalhar na Replan.

Jacó Bittar durante homenagem na Pedreira do Chapadão (recuperada na gestão dele) junto com o vice prefeito Wandão de Almeida em 2021 (ambos são do PSB).

Logo que entrou na Replan estavam discutindo a questão de salários que era diferente da Refinaria de Cubatão e assim – por proposta de Jacó – decidiram criar o Sindicato dos Petroleiros de Campinas e Paulínia em 1973 e foi eleito o primeiro presidente (posteriormente o Sindicato se tornou o Sindipetro, de todo o Estado). Sua primeira batalha foi justamente pela equiparação do valor-hora com a RPBC de Cubatão. Em 1979 ocorreu a primeira greve dos Petroleiros com paralisação maciça da Replan. Em 1983 outra greve dos Petroleiros porém a nível nacional. Centenas de dirigentes sindicais foram demitidos, inclusive Jacó.

Em 1980, vários sindicalistas de diversas categorias – como Lula e Olivio Dutra (além de professores, artistas e intelectuais) fundaram o PT Partido dos Trabalhadores do qual Bittar foi escolhido como primeiro presidente. Três anos depois, os sindicalistas decidiram criar uma Central Sindical independente do Governo e criaram a CUT em 1983.

E com a luta pelo fim da ditadura militar , muitas foram as lutas até a promulgação da nova Constituição em 1988, quando o PT decidiu lançar Jacó e Toninho para a Prefeitura de Campinas e venceram.

Jaco Bittar dirige a assembleia de criação do Partido dos Trabalhadores em São Paulo, em 1980 com Olivio Dutra (primeiro à esquerda) e Lula entre outras lideranças (foto do acervo do Sindipetro)

A Gestão de Bittar

A Gestão de Jacó Bittar foi bastante polêmica e inovadora e teve grande apoio de professores de universidades e estudantes. Na época , o PT decidiu implantar a política dos Conselhos Populares de cada região que definiriam as execuções da Prefeitura. E isso foi o que deu mais problema (Em Barão o subprefeito indicado, José Suassuna, criou o conselho aproveitando a associação SOS Barão criada e liderada por Valdir Terrazan, Walmir Geraldi e outros. O Conselho era amplamente dominado pelos ambientalistas e foi o Conselho que decidiu pelos tombamentos de diversas áreas).

O problema principal que decidiram enfrentar foi a passagem de ônibus: uma das mais caras do país e com ônibus pequenos e velhos. Jacó chamou o engenheiro Jurandir Fernandes como secretário E eles decidiram duas coisas: a construção do VLT e a negociação com as empresas de ônibus, com boatos de que Jacó iria encampar os ônibus foi a realização mais polêmica de sua gestão.

Após o acordo, as empresas ficaram obrigadas a adquirir ônibus maiores e mais modernos e a conceder passagem gratuita dois domingos por mês. E para linhas periféricas “deficitárias” a Prefeitura iria criar uma empresa para opera-las. Foi assim que surgiu a EMDEC para criar e operar várias linhas de ônibus e como algumas linhas foram encampadas”, havia o boato de que Jacó iria acabar com ônibus privados em Campinas o que não aconteceu.

Logo que ele entrou, criaram a linha 337 expressa direta do Centro para a Unicamp que era feita pelos grandes ônibus Scânia vermelhos que era muito mais rápida que a linha 360 para a Rodoviária. E também foi criado o passe estudante que não pagava a passagem.

Já o VLT era um trem que ligava a região do Ouro Verde e Viracopos ao centro usando as linhas da antiga Sorocabana. Era para ser um projeto para várias gestões que acabou sendo interrompido depois por Magalhães Teixeira.

Na área ambiental Jacó mandou fazer a despoluição total da lagoa do Taquaral e o fim dos esgotos e fontes poluidoras que foram desviadas; além disso decidiram fazer um projeto de plantio de um milhão de mudas de árvores pela cidade (que não se sabe se foi conclu´ído).

A administração de Jacó Bittar decidiu também fazer uma reformulação total na SANASA que passou a ser mais transparente e definir com antecedência quando e quanto seria a tarifa de água e esgoto; também fez a pavimentação de uma das marginais do córrego Piçarrão e um dos túneis (a outra marginal e túnel só foram concluídos mais de uma década depois pela prefeita Izalene Tiene), a estação de tratamento de água ETA 4, e foram feitos vários quilómetros de rede de água e esgoto,…

Jacó também ampliou o número de médicos no Hospital Mario Gatti e adquiriu o terreno e iniciou as obras do Hospital Ouro Verde; Na Cultura, em sua gestão, apareceu o Projeto Lona Azul, que cobria o Centro de Convivência onde houve vários espetáculos.

Mas a partir de meados da gestão o próprio vice prefeito Toninho Costa Santos começou a cobrar dele denuncias de corrupção com as empresas de radares. Inicialmente não foi levado muito a sério mas as denuncias cresciam e chegavam na mídia . Depois surgiu o boato de que Jacó teria ganho um apartamento de uma empreiteira (denuncia que não se efetivou posteriormente). E apesar das negativas, o PT não o defendeu e ainda tinha as denúncias do próprio vice. Isso dava brigas dentro da Prefeitura e do partido e Jacó Bittar acabou saindo do PT e se filiando ao PSB. Isso só favoreceu a candidatura de Magalhães Teixeira que venceu as eleições e depois de eleito, abandonou o VLT e mudou todas ações implementadas por Jacó.

Depois disso ele não quis mais se candidatar Em 1994, Bittar foi condenado em primeira instância a ressarcir a prefeitura de Campinas por obras sem licitação no aterro sanitário Delta I. A sentença foi confirmada em 1998 em segunda instância pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Outra condenação em primeira instância por propaganda irregular também foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo. Há também processos sobre concorrência dirigida e o superfaturamento na construção de VLT e de malversasão de verbas para as obras de captação e tratamento de esgoto da bacia do ribeirão Anhumas.  Em setembro de 1997 os bens de Bittar foram cautelarmente indisponibilizados, durante o processo que investigava a contratação sem licitação da CPEM (Consultoria para Empresas e Municípios). Em outubro de 1998 os bens foram desbloqueados por determinação do juiz da 6ª Vara Cível de Campinas, Gilberto Luiz Carvalho Francischini.

Para Barão Geraldo especificamente Bittar não foi presente nem fez praticamente nenhuma realização. Mas os transportes para Campinas melhoraram muito em sua gestão. E os domingos com passagens gratuitas possibilitaram maior facilidade para frequentarem vários pontos comerciais e culturais de Campinas, como o Taquaral embora os ônibus ficassem lotados (importante lembrar que naquela época não havia o Shopping D. Pedro, o Taquaral era bem mais simples mas ainda havia aeromodelismo e corridas de kart e sempre havia eventos no Cambuí). Talvez a principal ação foi – através de Suassuna seu subprefeito – dar força às Associações de Moradores e lideranças comunitárias de Barão a maioria ambientalistas e próximos ao PSDB como Valdir Terrazan, Walmir Geraldi, Hermógenes Leitão filho, Raquel Gobbo, Maria Hermínia Duckur Kassab, César Nunes, Maria Aparecida (presidente da Associação do Jd América e da Pró Menor), Maria Aparecida ( C. Universitária), Luis Ribeiro Soares (V. Holândia), Mariza de Oliveira (Guará), José Carlos dos Santos (Real Parque) e vários outros. O que possibilitou os pedidos de tombamentos de vários locais e inicio das discussões de um planejamento local que só se efetivou com Magalhães. Essas lideranças porém desconheciam e simplesmente se esqueceram de preservar prédios históricos fundamentais de Barão Geraldo como o sobrado do Barão, o prédio da Estação que deu origem ao distrito e o Capão do Boi.

Últimos tempos e falecimento

Segundo o jornalista Guilherme Weimann do Sindipetro, nos anos 2000 Jácó Bittar trabalhou no PSB de São Paulo a que chegou a dirigir e decidiu se aposentar em 2010. Nessa época conviveu e fez amizade também com Wandão hoje presidente do PSB de São Paulo. Segundo ele, Jacó Bittar fes parte do Conselho Gestor do Fundo Petros e chegou a morar na Granja do Torto em Brasília quando Lula e Marisa la viviam, no final da gestão. Ele também passou vários meses no polêmico sítio de Atibaia comprado por seu filho Fernando e outros amigos. Nos ultimos tempos depois de diagnosticado com o Parkinson, vivia em seu apartamento, sendo cuidado pelos empregados contratados com visitas esporádicas de seus filhos. E em maio passado, foi visitado por Lula quando ele veio fazer um discurso na Unicamp.

Com o falecimento, Wandão e Fernando Bittar decidiram fazer o velório no Cemitério da Saudade, na sede da SETEC por facilidades logísticas. Mas ele depois seria sepultado no Cemitério de Sousas, onde já havia comprado um jazigo juntamente com outros companheiros do Sindicato e da prefeitura.

No velório compareceram além de Wandão e dos filhos de Jacó, o governador Rodrigo Garcia (PSDB), o prefeito Dário Saadi, o ex Jonas Donizete, o presidente da Câmara Zé Carlos ambos do PSB, além de Lula e Alckmin e dos candidatos a governador Fernando Haddad e Márcio França (PSB), do  ex-reitor da PUC-Campinas e ex-secretário municipal de Educação, Eduardo Coelho. Zé Carlos prometeu que a Câmara fará uma homenagem a ele, assim como Wandão disse que a Prefeitura também fará.

Dário emitiu nota falando que inciou sua carreira no Mário Gatti durante a gestão de Bittar e decretou 3 dias de luto oficial .

(Arney Barcelos com apoio de informações de Guilherme Weimann)

vel´ório de Jaco Bittar , 27/5 no Cemitério da Saudade, foto Kamá Ribeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s