Bairros

Poda da CPFL danifica cabos de fibra ótica e deixa Village sem internet por uma semana

Mais uma vez uma empresa contratada pela CPFL para fazer podas de árvores em suas redes faz uma “lambança” em Barão Geraldo. Dessa vez, além de podas abusivas, a empresa atingiu com serras elétricas até cabos de internet do bairro!

Um trabalho de podas feitas para a CPFL, tidas como “emergenciais”, danificou vários cabos de fibra ótica do serviço de internet Kyatera, no bairro Village. O fato ocorreu domingo passado, 19/6, por empresa contratada pela CPFL e prosseguiu causando a paralisação do serviço por toda semana até pelo menos esta quinta 23/6.

Segundo Marcelo Corradini, diretor da Kyatera, o problema já começou antes da troca dos postes na sexta 17/6 quando a equipe desacoplou o cabo de fibra ótica de todos os postes a serem trocados para que não houvesse rompimento da fibra. E quando nosso funcionário foi conversar com os funcionários da CPFL para tomarem cuidado com os cabos de fibra, eles foram agressivos e disseram que não iriam tomar cuidado e que as ordens eram para “meter o facão”.

Nessa mesma sexta um dos cabos da Dr Emílio Coelho foi partido por um guincho da própria CPFL Paulista que retira os postes. Segundo ele, o caminhão bateu no cabo solto e rompeu algumas fibras (“as fibras ficam dentro do cabo num total de 24 fibras“) interrompendo a rede. Após trocados os postes no próprio dia da troca (sexta dia 17/6) foi liberado para as empresas rearrumarem os cabos às 18h, tornando impossível o trabalho noturno. Por isso, recomeçaram no outro dia (sábado 18/6) e a Kyatera informou que fizeram 48 fusões do cabo de fibra para restabelecer a parte acidentada e religou a rede por volta das 12h. “É preciso trocar todo o trecho de cabo e fazer de um lado a emenda das 24 fibras e do outro lado do cabo, outras 24 emendas usando para isso uma maquina de fusão de fibra óptica (que cada uma) é menor que a espessura de um fio de cabelo

Porém no domingo, 19/6 uma empresa contratada pela CPFL para realizar podas “emergenciais” nas árvores que envolviam a rede de energia acabaram atingindo os cabos de fibra ótica com serra elétrica em vários pontos. Mas segundo Marcelo, a Kyatera não foi avisada da realização da poda das árvores e não acompanhou o trabalho. E foi com surpresa que perceberam nova queda da rede. Ao deslocarem equipes para o Village para verificar o problema, encontraram vários metros do cabo de fibra ótica com diversos cortes feitas com serras elétricas em várias partes da fiação.

Segundo Marcelo desde então a equipe vem identificando e trocando os trechos danificados um de cada vez (pois não tinham como saber onde estavam) com o mesmo processo de fusão de fibras , trecho por trecho até o dia 22/6 (quarta). Nesse dia, a Kyatera descobriu que mesmo substituído todos os trechos danificados, o sinal abaixo do necessário para o funcionamento e muitos clientes continuaram
sem conexão. “Então decidimos trocar cerca de 2 km de cabo no dia de hoje, 23/6 com previsão
de término do problema ainda hoje até às 19hs ou antes
“. – declarou ele.

A equipe de técnicos da Kyatera percebeu que no mesmo trecho onde foram realizadas as podas das arvores que danificaram os cabos, haviam outros cabos de outras operadoras a uma distancia de +/- 15 cm, mas não houve qualquer avaria nesses cabos, apenas nos da Kyatera. Eles relataram que alguns clientes passaram por eles e em sua maioria
foram solidários, inclusive levaram refrigerantes e água para eles, enquanto outros criticaram. “Mas infelizmente sofremos ameaças, que não vale a
pena nem comentar”. – disse Marcelo.

CPFL afirma que avisou empresas e que não cortou cabos e diz que irtá averiguar o trabalho de poda

Em nota a CPFL Paulista respondeu que, além de não cortar cabos de outras empresas, cumpriu com o seu papel de comunicar as empresas ocupantes dos postes (como as de telefonia e internet), para que o trabalho fosse acompanhado e feito o necessário para não afetar os serviços oferecidos aos clientes.

Segundo a CPFL os cabos de internet são de propriedade e responsabilidade de empresas de telecomunicações, bem como a sua recolocação, quando há desligamento após manutenção da rede elétrica. E que a regularização dos cabos e fios de telecomunicação, conforme normas técnicas e regulamentares, é de responsabilidade da empresa ocupante, que também deve arcar com os custos. “A (empresa) ocupante dos postes também tem responsabilidade objetiva sobre eventuais danos causados à infraestrutura do detentor, aos demais ocupantes ou a terceiros. Vale destacar que o cliente pode acompanhar as programações de manutenções em sua região por meio do site da companhia, em https://servicosonline.cpfl.com.br/agencia-webapp/#/desligamento-programado.

A CPFL Paulista informa que a responsabilidade pela realização de podas de árvores é da Prefeitura Municipal e que realiza podas emergenciais e preventivas quando há risco à população ou ao fornecimento de energia. A companhia destaca que durante a realização dos serviços, critérios técnicos são seguidos para afastar os galhos das árvores da rede elétrica e evitar agressões desnecessárias às árvores.

A CPFL Paulista também informou que a responsabilidade pela realização de podas de árvores é da Prefeitura Municipal mas que realiza “podas emergenciais e preventivas” quando há risco à população ou ao fornecimento de energia. A companhia destaca que durante a realização dos serviços, critérios técnicos são seguidos para afastar os galhos das árvores da rede elétrica e evitar agressões desnecessárias às árvores.

A companhia destaca que durante a realização dos serviços, além de evitar agressões desnecessárias às árvores, segue os critérios técnicos para afastar os galhos da rede elétrica, mas que diante das informações dos moradores da região citada, vai verificar como o trabalho foi feito.

Moradores reclamaram de não atendimento da Kyatera e querem desconto dos dias perdidos sem internet

Mas além da dificuldade em restabelecer o sinal, parece que a Kyatera falhou na comunicação e parece que vai perder muitos clientes. Dezenas de moradores (sobretudo os que trabalham com internet em home office) reclamaram inúmeras vezes – e com raiva – do não atendimento da Kyatera por telefone ou whats app e decidiram trocar de operadora. A moradora Vera Ragazzi demonstrou que ficou esperando atenderem seu chamado por mais de 1 hora no dia 23. Ana Beatriz Linardi disse que a Kyatera é uma “empresa ineficiente que trata os clientes com desprezo” e que merecia reclamações no Procom, Anatel, Reclame Aqui, BO e que já havia trocado pela outra empresa que também atende o bairro. Marcos Canella disse que não importava o tamanho da empresa, mas que o respeito ao consumidor é primordial. “Problemas todos tem, mas dar uma satisfação, atender uma ligação, ouvir seus clientes é uma questão ética, coisa que que a Kyatera não tem, desde sempre um péssimo pós venda, uma péssima empresa que não respeita seus clientes, minha experiência com a mesma foi sempre de atritos“. “Hoje graças a livre iniciativa temos uma concorrente q também é pequena, a Infonet, mas a diferença é grande. Minha internet caiu e eles mandaram o técnico no domingo mesmo em casa. Problema resolvido em poucas horas. Muito satisfeito com o serviço de banda larga da Infonet, empresa que respeita o consumidor” – disse marcelo.

Em sua resposta, a Kyatera reconhece que não conseguiu atender as centenas – talvez milhares – de clientes e pede desculpas. Corradini diz que enquanto atendiam um cliente numa chamada na média de 3 minutos, muitos ficavam sem atender porque não possui um “call center” para isso: “Do dia 17 ao dia 23 consultando o log. de chamadas do nosso PABX recebemos 2.360 chamadas telefônicas“.

Corradini disse que a Kyatera já atende o Village ha 17 anos , que seu primeiro cliente desde julho de 2008 continua ativo e que a empresa tem esse compromisso de levar tecnologia de ponta para uma região carente de infraestrutura pública e privada.
Pedimos desculpas pelo ocorrido e depois desse trágico ocorrido, nosso objetivo será de
melhorar o atendimento telefônico com nossos clientes, principalmente fora do horário
comercial.

Sobre o desconto ou devolução de cerca de 5 dias sem internet, Marcelo disse por telefone que não tem como fazer isso para todos os clientes. Primeiro por causa dos contratos que seguem normas e padrões da ANATEL. Mas que será descontado aos moradores que protocolaram pedido de ressarcimento inclusive por email conforme o artigo 46 da resolução 613/2014 da ANATEL. Segundo esse artigo, em caso de interrupção ou degradação da qualidade do serviço por mais de 30 minutos, a empresa deve descontar da assinatura o valor proporcional ao número de horas parados. Para isso, os clientes devem reclamar na operadora e anotar o protocolo, inclusive por email E caso não resolver devem recorrer à Anatel ou Procom. E Corradini diz que atenderá a todos que protocolaram.

INFONET também teve cabos danificados

Em atendimento pelo whats app, o atendente André da empresa INFONET, que também atende o Village, disse que alguns cabos da empresa também foram muitos danificados mas nossa equipe estava no domingo de plantão arrumando André disse porém que a infraestrutura dos cabos da empresa não foi afetada. E que nos últimos dias o atendimento de pedidos de instalação e o volume triplicou na região do Village e por isso também estão com dificuldade de atender a todos.

Segundo o diretor Adriano Guimarães , a CPFL ja vem realizando serviços de troca na região a cerca de uns 30 dias desde o final de maio e toda a rede vem sendo afetada porém eles sempre avisam. No dia 3 de junho fizeram uma manutenção na rua Antônio Marota que acabou rompendo a ligação com uns 30 clientes. Ja na quinta 16/6 com troca de postes na rua Francisco Candido Xavier mais cerca de 50 clientes ficaram sem o sinal e nos dias 17 e 18 (sexta e sabado) os cabos principais foram atingidos em tres lugares. “Danificaram em uns 4 pontos diferentes. Mas nossos técnicos trabalharam todo o final de semana até no domingo para restabelecer tudo”

Para Guimarães, a troca de postes e as podas atingiram mais os clientes da Kyatera por vários motivos. Primeiro que a Infonet trabalha com duas linhas – uma principal e outra de clientes e a Kyatera apenas com uma. E assim as podas derrubaram apenas uma das linhas, que mesmo assim atingiu o fornecimento de 5 clientes. Segundo que resolveram manter equipes trabalhando no sábado e domingo , inclusive à noite e assim , ja na segunda (20) , estava tudo normalizado e por terem uma central no próprio bairro Village facilita bastante o trabalho. Além que a infra, a capacidade e o fornecimento da Kyatera é muito maior e usando sinal alto nas fibras, “E quando há um corte ou um rompimento, a altura do sinal alto dificulta o retorno rápido da rede”

(AB)

Fotos enviadas pela Kyatera e por moradores e algumas do Jornal de Barão


Técnicos da Kyatera fazendo a “fusão” dos cabos de fibra ótica novos no lugar dos danificados

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s