Educação

Estudantes reclamam da qualidade da nova empresa de restaurantes da Unicamp

Vários estudantes da Unicamp estão reclamando da qualidade de atendimento nos bandejões da Unicamp agora que a nova empresa – a Soluções Serviços Terceirizados – assumiu as refeições servidas em toda a universidade no final de agosto.  Muitos encontraram barbante, fios de cabelo, pedaços de vidro, papel ou papelão, bichos e larvas, “galho”, pedaços de plástico, de esponja  etc. Também reclamaram de bandejas não ou mal lavadas e da falta de  comida no final dos horários (após 13:45h normalmente) “antes de todos se alimentarem” além de  alguns outros problemas nos vários campi. 

A empresa assumiu todos os bandejões da Unicamp no ultimo dia 5/9 após vencer licitação exigida pelo Tribunal de Contas do Estado e é a responsável por todos os restaurantes da Universidade e boa parte das reclamações são desse período inicial. As refeições custam R$ 3,00 para estudantes contendo além de comida, suco, pão e café e permitem repetições. Mas para alguns bolsistas – considerados sem condições de se manterem para realizarem as demandas exigidas pelos vários professores – as refeições são gratuitas.

Larissa Aragão disse que encontrou um grampo de papel no meio da soja. Vinicius Forte disse que um companheiro de sua republica encontrou um barbante e no dia 14 ele encontrou um galho. Renilson Luna e encontraram fios de cabelo na comida e Daniel Serra encontrou uma barata nas bandejas e fez reclamação à ouvidoria e vigilância sanitária.

grampo encontrado pela estudante Larissa

Mayra Biccigo encontrou plástico no meio da salada e outro disse que encontrou plástico na almondega. Priscila Rodrigues – que disse ja ter encontrado fios de cabelo na comida – mostrou ter encontrado um caramujo na salada .

Nilo Giacomelli disse que mordeu pedras no arroz e outro  encontrou uma pedra no feijão;  assim como Giovana Zerbinatti Pietro Bovo disse que encontrou um pedaço de esponja, da parte verde, no purê que lhe serviram

Outra reclamação é do termino da comida antes do horário. Mariane Martins, Giovanna Fabrício e Rob Colares reclamaram que faltou comida antes de terminar o horário falta de comida no horário próximo ao fechamento “passei a catraca e por ter uma reunião tive que ir embora sem comer” disse Colares. Porém esse problema de fazer comida pouco antes ou depois do horario de fechamento , por outro lado, obriga cozinhar mais comida porém com extrema pressa, que faz a qualidade da comida  ficar crua ou muito pior como reclamou a estudante Vitoria Vieira.

Outra reclamação foi da mudança no guardanapo Vários como Pedro Henrique e Matheus Batista reclamaram da redução do tamanho e da qualidade do novo guardanapo

Ja ex estudantes como Felipe Ochinzly e Aline Iaconov disseram que sempre foi assim “Na minha época tinha lesma, pedra, os pombos sentando do seu lado pra comer, rato e barata na cozinha… Qualidade do RU nunca foi boa…

Algumas estudantes como Lavínia Machado e Ana Carolina Leão propuseram partir para ações mais duras via Vigilância Sanitária ou processo na Justiça “Vai ter que começar a abrir uma denúncia atrás da outra na vigilância sanitária, porque todo dia é um caso novo de “objeto estranho” na comida, salada com gosto de cândida, gente passando mal etc e só ouvidoria não tá resolvendo” – disse Lavinia.

Outros estudantes reclamaram também de filas gigantescas, resultante de demora para fazer a comida e também há reclamações de maus tratos ou assédio moral às funcionarias como Paula Gabriela “conversem com as funcionárias . Todos os dias os funcionários não estão aguentando tanta pressão e canseira por falta de funcionários e alguns chegaram a pedir demissão“. – disse.

Além dos estudantes, quem está reclamando e enviando as reclamações por email é o DCE (Diretório Central dos Estudantes) que , em tese, representa os estudantes.  

O DCE diz que apos a Soluções assumir a alimentação da universidade, as funcionárias (a grande maioria feminina) tiveram o  “VR” (vale refeição) reduzido de 800 para 180  reais e perderam o direito ao transporte fretado, direito à creche e ao CECOM (centro de Saude), além de aumento da  jornada de trabalho sem aumento salarial;  Que no R.A. (restaurante da administração proximo à FEEC, E em Limeira  sequer teve feijão)  
“um dia chegou a faltar mesas e estudantes tiveram que comer  na mão ou  sentados no chão  ate terem mesa” (diz o DCE em publicação no Instagram).

Vamos continuar lutando por um bandejão de qualidade, com comida adequada e condições dignas de trabalho para quem prepara nossa comida todo dia. Restaurante é serviço essencial! A Soluções não é bem-vinda!”

O DCE chegou a realizar uma Assembleia de estudantes dia 15/09 passado para definir o que fazer porém foram poucos estudantes que decidiram reclamar também na Vigilância Sanitária além da ouvidoria da Universidade.

Vigilância Sanitária de Campinas foi ao RU

Alarmada com a quantidade de reclamações recebidas, a Vigilância Sanitária de Alimentos da Prefeitura resolveu mandar uma das equipes que foi ao local no último dia 23. ENtretanto, conforme nota da Vigilância, “não foram encontradas evidências que comprovassem as denúncias” e que “o estabelecimento é acompanhado pelo órgão municipal“. Mas não descartou novas visitas.

Soluções Contesta

Em nota a empresa Soluções disse inicialmente que as reclamações “são inverídicas” . Segundo eles eles seguem rigidamente o contrato estabelecido com a Unicamp que prevê um protocolo para eventuais reclamações das refeições fornecidas e que prara isso devem ser checadas “in loco” por esses profissionais “altamente qualificados” Mas que as denúncias feitas por whats e redes sociais não dão chance da empresa checar e atuar em tempo real .

A Soluções reafirma que os alimentos são preparados ” dentro dos máximos padrões de qualidade” segundo os contratos e critérios cientificos de higiene E ainda argumenta que o aumento das filas é resultado da “aceitação e (boa) avalição das suas refeições que, “ao contrário dos relatos, demonstram a satisfação plena dos serviços prestados”.

Por fim sobre a reclamação de problemas trabalhistas a Soluções disse que está cumprindo todas as condições estabelecidas e a CLT e possui também uma Ouvidoria interna para casos como de assédio moral

LEIA A NOTA DA EMPRESA

“A Empresa Soluções vem elucidar algumas notícias inverídicas que estão sendo propagadas na execução do contrato em Campinas e Região.

Inicialmente, informamos que há um protocolo para eventuais reclamações das refeições fornecidas e a Empresa dispõe de profissionais altamente qualificados em Nutrição para avaliar os fatos in loco. Contudo, essas supostas não conformidades que estão sendo relatas em grupo de WhatsApp e redes sociais, sem qualquer fundamento e não dando a chance da Empresa atuar em tempo real.   

Ressaltamos que, os nossos alimentos são preparados e servidos dentro dos máximos padrões de qualidade, em cumprimento das condições contratuais e atendendo os critérios de higiene dos órgãos competentes.

Ainda neste contexto, devemos pontuar que o aumento das filas é uma consequência da aceitação e avalição das nossas refeições que, ao contrário dos relatos, demonstram a satisfação plena dos serviços prestados.

Em relação as obrigações trabalhistas, a Soluções está cumprindo todas as condições estabelecidas nas normas coletivas e da CLT. E, por fim, dispõe de um Programa de Compliance e Canal de Ouvidoria que trata, dentre outros temas, de denúncias de assédio moral, dada a sua preocupação com o assunto.”

NOTA DA REITORIA

Devido à polêmica , a Unicamp resolveu emitir uma nota oficial após ouvir a DGA Diretoria Executiva de Administração e mais diretamente a Prefeitura do Campus que fazem parte de um Comitê Gestor responsável pela alimentação e pela administração dos restaurantes. Segundo a nota esse Comitê Gestor acompanha , monitora, avalia e fiscaliza diariamente as atividades operacionais, nutricionais e sanitárias da empresa Soluções nos Restaurantes Universitários. E informou que todas as denúncias enviadas por vias oficiais e não oficiais já estão sendo averiguadas pelo Comitê e, se constatadas como verídicas, serão objetos de autuação administrativa e jurídica. Porém informou que não podem fazer punições e quebra de contrato de forma apressada, sem estudar o caso e observar os termos contratuais e a legislação.

LEIA A NOTA :

A Unicamp – por meio da Diretoria Executiva de Administração, da Diretoria Geral de Administração, da Prefeitura do Campus e da Secretaria de Administração Regional – constituiu um Comitê Gestor que acompanha as atividades da empresa. O Comitê monitora, avalia e fiscaliza diariamente as atividades operacionais, nutricionais e sanitárias da empresa Soluções nos Restaurantes Universitários. Todas as denúncias enviadas por vias oficiais e não oficiais estão sendo averiguadas pelo Comitê e, se constatadas como verídicas, serão objetos de atuação administrativa e jurídica. A Universidade não pode, no entanto, realizar ações de punição e quebra de contrato de forma apressada, sem a devida observância aos termos contratuais e aos trâmites administrativos previstos na legislação.”

Falecimento da funcionaria Cleide , no campus de Limeira

Para piorar a polêmica na segunda feira passada , 26/9 à noite uma funcionária após jantar teve um AVC e morreu em pleno restaurante ao caminhar dentro da área da cozinha, A funcionária – chamada Cleide Aparecida Lopes teve um “mal subito” e caiu no restaurante. Suas colegas de trabalho cjhamaram o SAMU e o Corpo de Bombeiros que ao chegarem notaram que ela ja estava sem sem os sinais vitais, mesmo realizando as manobras de ressuscitação, e não conseguiram evitar seu óbito.  

Devido à isso o DCE , o sindicato STU foram fazer uma manifestação em Limeira, onde decidiram pedir à Unicamp que decretasse Luto Oficial devido sua morte. Segundo o DCE houve descaso por parte da instituição, que manteve o atendimento no refeitório, mesmo com a confirmação da morte da funcionária. 

A Soluções declara que o falecimento de Cleide se deu por volta das 20:40h quando o refeitório ja estava fechado e sendo limpo. E que dará todo apoio à familia de Cleide.

A funcionária do bandejão da FCA Limeira , Cleide Aparecida Lopes

NOTA DA UNICAMP

Em nota, a Unicamp se manifestou sobre o falecimento de Cleide Aparecida Lopes. Confira:- Publicidade –

A Reitoria da Unicamp lamenta profundamente o falecimento da técnica em nutrição Cleide Aparecida Lopes, funcionária da Soluções Serviços Terceirizados, empresa que administra o Restaurante Universitário (RU) da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA) de Limeira. A Universidade manifestou publicamente seu pesar por meio de notas oficiais de três órgãos diretamente envolvidos (Faculdade de Ciências Aplicadas, Secretaria de Administração Regional – SAR e Reitoria) e por suas redes sociais.

Cleide Aparecida Lopes faleceu em razão de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) nas dependências do restaurante universitário de Limeira. A funcionária não tinha vínculo no contrato anterior, administrado pelo Funcamp, tendo sido admitida pela empresa Soluções Serviços Terceirizados no dia 28 de agosto de 2022. No momento do falecimento da funcionária, o restaurante já estava fechado para o atendimento ao público. A equipe realizava atividades internas para o encerramento do expediente. A SAR e a Empresa Soluções realizaram imediatamente os procedimentos de socorro e atendimento médico. Como o serviço de alimentação é uma atividade essencial da Universidade, tanto pelo grande volume de refeições a serem oferecidas, quanto pela sua complexidade logística, as atividades foram retomadas no dia seguinte. Segundo informe realizado pela Soluções à Unicamp, a empresa ofereceu suporte psicológico à família e aos funcionários, bem como apoio nos procedimentos funerários.

(AB)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s